Como lidar com a Síndrome do Impostor

02

ABRIL, 2017

A Síndrome do Impostor se caracteriza por pensamentos constantes de que o sucesso ou atenção recebidas não são de fato merecidos e que algumam hora os outros irão perceber a verdade. Este tipo de pensamento pode ocorrer ocasionalmente para todo mundo, mas quando passa a ser uma constante pode chegar a atrapalhar os relacionamentos ou a vida profissional. Mas para tudo da-se um jeito, veja abaixo algumas dicas de como lidar com o problema.

Reconhecer e nomear a sensação de fraude quando ela aparece
Quando surgir a sensação de que vão desvendar a sua “fraude”, lembre-se “lá vem a síndrome do impostor de novo”. Dar nome a esta sensação pode ajudar a se distanciar um pouquinho dela e a ficar mais consciente do que está acontecendo.

Aprenda a aceitar elogios 
Assim como quando você fala “bom dia” você não está no fundo do coração desejando que a pessoa em questão tenha um bom dia e quando pergunta “como vai?” não significa que você está interessado em saber detalhes da vida do seu interlocutor, responder “obrigada” para um elogio não precisa significar que você foi, é e sempre terá de ser competente em todas as situações, interessante em todos as suas características e assim por diante. Talvez a dificuldade em receber um elogio e reconhecimento seja que você está dando muita importância à ele – os outros podem nem se lembrar do que te disseram no dia seguinte.

Fazer algo parecer fácil + diminuir o valor = síndrome do impostor

Perceba se você não está pensando demais em você mesmo
Todo mundo tem problemas, limitações e não irá corresponder o tempo todo às idealizações do que é ser competente, interessante e assim por diante. Enquanto você está pensando em que vão descobrir que você não é tão bom assim, como está a tarefa que você tem que executar ou a namorada que está querendo aproveitar o momento? Tirar o foco do que vão pensar em você no futuro e poder se envolver com o que acontece no presente é exatamente onde você vai chegar quando resolver este problema.

Humildade não é pensar menos de si mesmo, é pensar menos em si mesmo

Revise sua imagem do que é alguém competente
Você leu a frase do Montaigne, está aí em cima escrita em uma fonte grande. Lembrar-se que somos todos humanos e que portanto mesmo as pessoas que idealizamos tem seus medos, inseguranças, querem ser aceitas, amadas, precisam de ajuda e…bem, vão ao banheiro e tem dor de barriga, pode ajudar a ter uma outra perspectiva da sua situação. Até aquela pessoa que você acha fantástica já se sentiu e se sente insegura de vez em quando, já engatinhou, já teve medo de levar um fora, já teve medo de não conseguir um emprego e por aí faz. Será que a sua imagem do que significa ser competente em algo é humanamente possível?

“Reis e filósofos defecam, e as damas também” – Montaigne, filósofo e humanista francês

Síndrome do Impostor

Ajude alguém que sabe menos que você ou que está inseguro com relação à algo com o qual você se sente seguro 

Estar atendo a quem está mais inseguro que você com algo e estar a disposição para dar um apoio ou ensinar pode ajudar a você se lembrar das suas mudanças, do seu crescimento e, desta forma, lembrar o quanto está e sempre estará em um processo de aprendizagem e adaptação aos desafios da sua vida

 

Não se isole

Muitas coisas conseguimos resolver sozinhos, agora quando o bicho pega todo mundo pode se beneficiar de uma mãozinha. Essa mãozinha pode vir de alguém querido, um colega que dê pra confiar ou, se você achar que for um caso, de um terapeuta. Se você já tiver tentado falar com alguém que tentou te provar que você não é um impostor e isto não te ajudou, você pode perguntar à pessoas queridas se elas algumas vezes tem esse tipo de sentimento. Isso pode abrir um canal de comunicação com pessoas que irão entender melhor o que você passa e você poder conversar com os outros a respeito de como é se sentir assim.